terça-feira, 28 de outubro de 2008

"AUSÊNCIA"

Por muito tempo achei que a ausência é falta.

E lastimava, ignorante, a falta.


Hoje não a lastimo.


Não há falta na ausência.


A ausência é um estar em mim.


E sinto-a, branca, tão pegada,


aconchegada nos meus braços,


que rio e danço e invento exclamações alegres,


porque a ausência, essa ausência assimilada,


ninguém a rouba mais de mim.


(Carlos D. de Andrade)

Um comentário:

Priscila Lisboa disse...

...chego com um terno sorriso a minha amiga Amada,sem ausências e nem partidas...só encontros e nunca despedidas...

Beijão Fada Flor,pq sempre apetece-me visitar seu jardim florido!!!

Blog Widget by LinkWithin