terça-feira, 25 de janeiro de 2011

15

HOMENAGEM À SAMPA...PARABÉNS!!!

São Paulo
Oswaldo Antônio Begiato

A primeira vez que vi São Paulo
eu estava com onze anos;
ela toda molhada.

Disseram-me que era garoa,
mas eu sabia que era garota
com tesão.

domingo, 5 de dezembro de 2010

12

DÊ UMA CARICATURA EXCLUSIVA DE PRESENTE DE NATAL...GENIAL!!!



Ví esta idéia genial no Blog do adorável amigo Ramirez e adorei...rsrs.
Eu já encomendei as minhas... e você...está esperando o quê?

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

9

"RIO DE JANEIRO"




O Rio acordou em confusão
E eu com o coração apertado
Nas ruas o medo do arrastão
Deixou o povo enclausurado.

O céu azul tornou-se negro
Coquetel Molotov de prontidão
O estopim da bomba está aceso
Nos morros do Cruzeiro e Alemão.

Nunca vi tanto desrespeito
A um povo tão sofrido e humilhado
Do morro apenas ecos do tiroteio
E bala perdida pra todo lado.

Tristes foram as imagens registradas
Queria nunca ter visto este horror
Crianças chorando e mães acuadas
Enquanto bandidos espalhavam o terror.

Mas em meio a toda esta algazarra
Vejo a imagem imponente do Redentor
Seus braços abertos a todos ampara
Cobrindo o Rio com seu manto de amor

Serena.

PAZ+E+RIO.png (400×283)


terça-feira, 17 de agosto de 2010

20

ESTAREI VOLTANDO EM BREVE...BEIJOS MUITOS!








Estou fora do ar,
mudando de nuvens,
passeando em cometas,
modificando a órbita,
onde vagam minhas estrelas.
Dei a volta na lua,
troquei de planetas,
e no reflexo de sua luz,
me torno maior que a galáxia.
Sei que soa estranho,
no planeta terra
eu flutuar em sonhos.
Mas, não sou guiado pelos meus pés.
Apenas observo de cima,
o que os olhos não vêem
ao nível do mar.
Então, vamos passear,
brincar, sorrir,
jogar conversa fora.
Na minha mochila,
não cabem muitas coisas,
por isso
só vou levar
a alegria,
a amizade,
e meu desejo intenso de amar.






Não sei quem escreveu, mas cai como uma luva!
Muitos beijos, e aos amigos que não me abandonaram
informo que logo estarei de volta...me aguardem ok?


Serena

terça-feira, 11 de maio de 2010

25

"SAUDADES DE TODOS"

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

35

"INSPIRAÇÃO PERDIDA"



Dias e noites tentei
Rabisquei folhas diversas
No pôr do sol me inspirei
Mas só vieram frases desconexas.

Queria tanto escrever
A mais linda poesia
Mas não sei como dizer
Ando em total apatia.

Fico comigo à cismar
E procuro explicação
Busco nas ondas do mar
Onde anda minha inspiração.

Será culpa da vida?
Ou quem sabe a culpa é sua?
Do amor que não mais inspira?
Ou a grande vilã é a dona lua?

Lua que é amante de todo poeta
Grande senhora do amor e paixão
Meu peito parece rua deserta
Lua te peço...devolve minha inspiração.

Serena.



sábado, 20 de fevereiro de 2010

7

"GOTINHA"


Aquela gotinha, 
Que caiu na tua janela
Tão frágil e tão minúscula 
Vizinha daquela lua amarela.

Serena
(09:40 15/02/2010)

sábado, 13 de fevereiro de 2010

11

"FOLIA GERAL"




"FOLIA GERAL"

Chegou Fevereiro
e com ele o Carnaval
Mês esperado o ano inteiro
A alegria é alegoria excencial.

Hoje tem samba-enredo
Tem também bloco de rua
Bate bola que até dá medo
Mas também muita mulher nua.

Pelos clubes a folia rola a noite inteira
Muito samba suor e cerveja liberada
Tem muita gente que depois da bebedeira
No dia seguinte não se lembra é de mais nada.

E pelas ruas o bloco vai seguindo
A alegria contagia e empolga geral
E eu da sacada vou apenas me despedindo
Enquanto o povo aguarda o próximo Carnaval.

Serena.




domingo, 17 de janeiro de 2010

12

"IRMÃO HAITIANO"







Pelas ruas entre os escombros
chora a criança assustada,
Traz o irmãozinho nos ombros
Procurando a mãe soterrada.

Entre as ruínas, um grito abafado
É mais um irmão que geme e que chora
Por baixo das pedras...corpo mutilado
Ora, roga à Deus e implora.

Meus olhos não querem enxergar
tanta dor e destruição
Mães sem filhos pra beijar,
corpos estendidos pelo chão.

Nas ruas um cenário de guerra
Só que dessa vez sem inimigo
Pelo chão o sangue banhando a terra
Gente gritando querendo abrigo.

Do que ali restou,a vida se fez ausente,
Minha alma de poeta chora e sofre também
Calo pelos mortos e pelo irmão sobrevivente
E Pelo povo sofrido que das mazelas virou refém.

Serena.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

8

"Loucuras de um adolescente"




Até pouco tempo atrás
Você era um lindo garoto
Hoje não te reconheço mais
nas horríveis guerras de arroto.

Seu quarto era tão arrumado
Tudo em seu devido lugar
Hoje parece um campo minado
Nem consigo nele entrar.

Os carrinhos eram seu hobye
Hoje nem carrinhos tem
Agora só ouve Slipknot
Parece até que não ouve bem.

Suas roupas são estranhas
Sua cor favorita é o preto
No aquário ao invés de peixes cria aranhas
Deixando mais branco o meu cabelo.

Na boca tem um piercing
Nas costas uma tatuagem
Chama de jurássico o Sting
e nas rodas de rock parece um selvagem.

Serena.





"Este poema dedico ao meu filho Renato"

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

23

"UMA NOITE PRA RECORDAR"




Hoje não venho postar nenhum poema, mas sim
dividir com vocês a minha alegria...rsrs.
Estive no show do Lenine e Vanessa da Matta no
Iate Clube Guanabara na Ilha do Governador
aqui no Rio e adorei!


O show foi de uma organização invejável.
Muita segurança, pessoas muito bem educadas dando todo
o apoio à tudo que viéssemos precisar.


Ficamos na arquibancada e conseguimos um bom lugar(pertinho do palco).
Tudo foi maravilhoso nesta noite,  e com toda certeza
ficará marcado em minha memória enquanto eu viver.
Foi um presentão de aniversário de casamento que meu marido me deu.


Lenine como sempre, estava inspiradíssimo naquela noite.
Cantou várias músicas do disco novo e claro que não poderia deixar
de cantar as músicas mais conhecidas da galera como "Martelo Bigorna,
Rede, Hoje eu quero sair só" e tantas outras que adoro e que lógicamente
levou o povo ao delírio...rsrs.



Vanessa também estava maravilhosa e levantou o público com as
músicas conhecidas tipo "Vermelho, Banho de chuva, Eu sou neguinha" e
muitas outras.



O Show começou às 23 horas e terminou depois de 2 horas da madruga e
digo à vocês que pela empolgação de todos, poderia rolar a noite toda
que todos iriam adorar!

Agora mais alguns momentos do show!







E é isso meus amigos, fiquei tão contente de ter ido
à este show, que quis partilhar minha felicidade com todos!
Um grande beijo e um Feliz Natal à todos!



sábado, 12 de dezembro de 2009

5

"PAPAI NOEL"




Noite de Natal, noite de felicidade
um pedido ao bom velhinho irei fazer.
Pedirei só e tão somente um mundo sem maldade
e que de quebra afaste das crianças o sofrer.

Papai Noel te peço que chegue de mansinho
trazendo no saco amor e esperança.
Ao menino de rua...só um pouco de carinho,
pois estão cansados da desesperança.

Nesta noite muitos pedem caros presentes
eu só peço paz e o tão esquecido amor.
Alegria para aquelas pessoas carentes
que vivem entristecidas em meio à tanto horror!

Papai Noel meu bom e estimado velhinho,
faz esta noite, uma noite especial
e não esqueça por favor daquele menino
que vende balas na rua na noite de Natal!

Serena.

"Todos os direitos reservados"



terça-feira, 8 de dezembro de 2009

11

"DEVANEIOS"





Mar, céu aberto, cantoria...
ondas azuis, sol escaldante.
Passos incertos, viajante...
sorriso aberto, alegria.
Mar, cheiro de maresia...
ondas quebrando, liberdade.
Luz do dia, claridade...
movimento constante, rebeldia.
Tua boca na minha lembra beijo...
sal no corpo, fantasia.
Olhos nos olhos, arritmia...
teu corpo no meu...desejo!

Serena.



quarta-feira, 18 de novembro de 2009

17

"DUPLICIDADE"





Entre dois mundos ando perdida
vivo em sucessivas contradições
Um se alimenta da hipocrisia
O outro não tem muitas ambições.

Um semeia o caos e a violência
pra ele todo desgoverno é normal
Ri dos que se perderam na demência
Se regosija com o sofrimento universal.

O outro vai vivendo em calmaria
Acalentando sonho e ilusão...
Se deixa levar nas asas da ventania,
dormindo nos braços frágeis da emoção.

Um camufla a dor num sorriso forçado
Sua dura realidade golpeia meu coração
No outro vivo em instantes inventados
sem querer da vida muita explicação.

E assim vou vivendo nesta duplicidade
trazendo no peito a dor do abandono
Desejando que o sonho fosse realidade
e a realidade se transformasse em sonho.

Serena

Beijos e lindo dia...










sexta-feira, 30 de outubro de 2009

6

CONCURSO "O CONTADOR DE HISTÓRIAS"







Quando criança por motivos financeiros, eu e minha família
fomos levados à morar no sítio dos meus avós.
Era um lugar muito afastado
(Pra quem conhece, ficava lá pra dentro de Saracuruna)
Era muito criança, mas lembro-me de tudo como se por
lá ainda vivesse.
Tinha a casa grande onde ficavam meus avós e a casa menor
(que diziam ser do caseiro) onde morávamos.
Pra mim e meus irmãos que éramos crianças, era tudo
maravilhoso. Muito verde e espaço pra brincar...e como
aprontávamos...aff!rs
Mas, como todo lugar antigo, este também vinha carregado de
antigas histórias.
Em noites de lua cheia, costumávamos nos reunir no varandão
da casa grande, tendo em vista que não havia televisão por lá,
e costumávamos ficar até tarde ouvindo as histórias dos meus
avós e dos meus pais. E não sei porquê as histórias sempre
se bandiavam para os contos de assombração.
Morríamos de medo, mas ao mesmo tempo ficávamos excitados
para ouvir os casos de lobisomem e dos fantasmas que viviam por lá.
Desde pequena sempre fui muito sensitiva.
Sempre via e ouvia coisas que não queria ouvir e um belo dia,
lá estava eu brincando em frente à casa grande, quando de repente
me deparo com uma cena que quando lembro, até hoje me arrepio.
Em frente à cozinha da casa grande, que ficava na parte de tras da casa,
 havia uma árvore muito antiga e que agora não me
recordo o nome, mas sei que era muito antiga.
Preso na árvore vi um homem negro...um escravo pra ser mais exata e um
homem branco chicoteando o pobre com toda vontade.
Quando vi...congelei e fiquei ali...paralizada, sem dar um suspiro sequer.
O escravo olhou pra mim, ele tinha a expressão sofrida de dor e tinha
lágrimas nos olhos. Parecia me pedir socorro.
Eu era criança, mas entendi a expressão do seu olhar.
Acho que foi questão de segundos, mas pra mim pareceu uma eternidade.
A visão sumiu na minha frente como em forma de fumaça, subiu aos céus e
eu finalmente pude me mexer e gritar(e como gritei).
Na mesma hora veio mãe, pai, avó todo mundo pra saber o que estava havendo.
E quando contei, minha avó confirmou que antes ali era uma senzala e que
era bem provável que o escravo tivesse vivido ali em outros tempos.
Essa foi uma das tantas visões que já tive na vida, mas com certeza,
foi a que mais me marcou e quando lembro daquela expressão dos
olhos do escravo, meu coração fica apertadinho e choro sempre.
Não sei o porquê dele ter aparecido pra mim, mas acho que de alguma forma
estivemos e estamos ligados durante toda a minha vida.

Serena.

Este post faz parte da Blogagem Coletiva
"Uma Noite de Arrepiar"
 proposta pelo Kriativa Blog da amiga
Raquel Machado.


4

"UM PRESENTE"



Hoje venho fazer um agradecimento especial!

Agradecer à uma amiga linda que me proporcionou uma grande emoção.

Agradeço pelo carinho constante,
e sobretudo, pela oportunidade que me deu
de conhecer um outro sentido da palavra AMIZADE,
talvez na sua forma mais ampla e integral,
uma vez que é dispensável a presença
do olhar, do toque e da voz.
Essa maneira, tão nova, de conhecermos pessoas
e delas nos tornarmos amigas, transcende,
ultrapassa qualquer entendimento,
mas não consegue invalidar o sentimento maior que nos une.
Basta que saibamos que em algum lugar desse imenso planeta
existe alguém em total sintonia conosco e isso nos basta.
Gostaria de te desejar tudo de bom Mari,
e que nosso caminhar continue se encontrando...
e os nossos corações cada vez mais próximos.
Um grande beijo e o meu muito obrigada!

Te adoro!

Serena

terça-feira, 27 de outubro de 2009

7

"CARTA AO POETA BEGIATO"

Ontem este querido amigo e poeta
comemorou mais um aninho de vida.
Resolvi fazer-lhe esta singela homenagem.
Um poeta sensível, de uma doçura sem igual e
um ser humano fantástico!
Por ele nutro grande admiração.
Poeta Begiato...meus parabéns!
Quem quiser dar uma espiadinha em seus
belíssimos poemas dê um pulinho em
seu blog e deliciem-se:



Hoje gostaria de escrever-te algo bem legal,
Algo diferente de tudo que já foi escrito.
Fugindo de tudo que é sempre tão igual,
Algo que te deixasse comovido.

Escreveria uma mensagem sem rasura,
E nela não teria uma gota de tristeza.
desenharia as letras com candura,
Em um lindo papel azul turqueza.

Das flores que colheria do jardim,
Perfumaria o papel com cheirinho bom,
E com carinho pra se lembrar de mim
Selaria a carta com marquinha de batom.

E na carta desejaria muita felicidade...
mandaria também um sorriso e um abraço.
Um grande e terno carinho de amizade
Desejando-te Feliz Aniversário poeta Begiato.

Serena.



Blog Widget by LinkWithin